UEA: Pesquisa revela que amazonense tem ansiedade antes de consulta odontológica

0
169

A egressa Gecimara Lopes, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) realizou um estudo com objetivo de avaliar o nível de ansiedade do amazonense em consulta odontológica. A ideia é buscar medidas para sanar o problema e evitar complicações durante o procedimento odontológico. O trabalho foi conduzido dentro da Policlínica Odontológica da Universidade, sob orientação do professor Doutor Joel Motta.

Durante o estudo, realizado em 2017, foi aplicado um questionário em pacientes que foram submetidos a cirurgias orais menores. Dividido em duas seções, a primeira continha perguntas para examinar as características dos entrevistados e, a segunda seção, avaliava o medo da dor do paciente.

Foram avaliados 120 pacientes, de ambos os gêneros, com idade entre 18 a 65 anos. Desse número, 79,6% denotou algum nível de ansiedade, de baixo à exacerbado grau de ansiedade. Apenas 20% dos pacientes entrevistados foram classificados como indivíduos não ansiosos.

Quando avaliado o medo da dor, 6,66% dos pacientes responderam não sentir medo da anestesia, enquanto os restantes responderam possuir medo em algum grau. Quando questionados se possuíam medo de obturar um dente, 73,33% das pessoas responderam não sentir medo desse tipo de procedimento e 18,30% disseram sentir medo razoável.

Para a realizadora da pesquisa, Gecimara Lopes, o estudo afirma que a maioria dos amazonenses entrevistados apresentam ansiedade e medo odontológico.

Ainda segundo Lopes, é preciso encontrar meios para amenizar esse sentimento. “deve-se conhecer minimamente o medo dos pacientes, esclarecendo dúvidas sobre o procedimento a ser executado, estabelecendo uma relação de confiança entre o paciente e o profissional”, finalizou.