Tratamento do câncer de ovário tem mais eficiência com paládio na quimioterapia

0
15

O Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP, pesquisa revela que um composto produzido com o metal paládio apresenta grande potencial como quimioterápico para o câncer de ovário. Os experimentos foram feitos com células tumorais resistentes à cisplatina (fármaco à base de platina) e mostraram que o composto com paládio tem elevada eficiência e seletividade, isto é, age somente nas células que se desejava atingir.

Os pesquisadores também descobriram que a eficácia do candidato a fármaco com base no composto está relacionada à inibição da atividade de uma enzima importante na reprodução celular. No câncer, células se proliferam de forma rápida e desordenada, por isso a enzima pode ser um bom alvo para o tratamento.

A pesquisa foi iniciada no projeto de doutorado de Carolina Gonçalves no IQSC, atualmente professora na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), sob orientação do professor Deflon.