Terra está ‘morrendo’ rápido demais, alertam pesquisadores

0
14

Extinções em massa, crises de saúde e constantes rupturas sociais. Apesar de este já ser um cenário familiar às cerca de 7,5 bilhões de pessoas espalhadas pelo globo, o futuro tende a trazer eventos catastróficos ainda mais acentuados se líderes mundiais não começarem a cuidar do meio ambiente com seriedade. Isso é o que indica um time de 17 cientistas de três países (Estados Unidos, México e Austrália) em artigo publicado na Frontiers in Conservation Science em 13 de janeiro. A Terra, ressaltam, está “morrendo” rápido demais.

Os responsáveis pelas projeções descrevem os três pilares que mais ameaçam a vida por aqui: perturbação climática, declínio da biodiversidade e consumo excessivo aliado à superpopulação. Tais fatores, salientam, deixarão nosso planeta em uma posição mais precária do que podemos imaginar, já que tendem a estar cada vez mais presentes em nosso dia a dia, colocando em risco a raça humana. Para embasarem suas perspectivas, reuniram mais de 150 pesquisas a respeito do assunto.

De todo modo, comentam, o levantamento não se trata de uma repreensão a cidadãos comuns, mas da descrição detalhada dos perigos com os quais teremos de lidar.

“Não é um chamado à rendição. Nosso objetivo é dar um ‘banho de água fria’ em líderes quanto ao estado do planeta, algo essencial para o planejamento dedicado à prevenção de um futuro medonho”, reforçam.