“sou o único candidato que tem o DNA do presidente Bolsonaro”, diz Coronel Menezes, candidato à prefeitura de Manaus

0
40

O coronel de reserva do Exército Brasileiro Alfredo Alexandre de Menezes Júnior, mais conhecido como, Coronel Menezes, é mais um candidato à Prefeitura de Manaus nesse ano.

Filiado ao partido Patriota, Menezes é cidadão manauara, cristão, nasceu e cresceu na capital. Casado há 32 anos e pai de duas filhas, o coronel vem de uma família humilde, com pouco estudo, mas que, segundo ele, proporcionou uma educação de qualidade.

Teve a oportunidade de servir na Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque, e Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington, ambos nos Estados Unidos, assim como na África, Equador e Peru.

Migrou para a iniciativa privada, em 2010, onde gerenciou uma instituição financeira e, mais recentemente, a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

Ao ON Jornal, Menezes explica como tomou a decisão de ser candidato à prefeitura e como pretendente mudar a situação da capital. Confira!

ON Jornal – Com pouco tempo de vida pública, você já é uma forte opção para a prefeitura de Manaus, como isso aconteceu? sempre esteve em seus planos ser político?

Coronel Menezes – Não, isso não fazia parte dos meus planos. Eu entendia que queria uma vida executiva como profissão e trabalhei para isso. Eu estava trabalhando em um banco e o presidente me convidou para comandar a Suframa em Manaus.

E em meados de junho, surgiu a opção de ser candidato a prefeito de Manaus. E com isso, hoje no meio político do estado do Amazonas, o único candidato diferente que não tem amarra com ninguém, sou eu. Todos os outros candidatos são apadrinhados politicamente. Por isso eu digo e repito, eu sou o único que tem a identidade do presidente.

ON Jornal – Quais suas principais propostas para a cidade?

Menezes – Bom, nosso plano de governo foi feito para atender os anseios da cidade. O primeiro deles, as pessoas pediram prioridade, para a saúde, devido a situação atual que vivemos. Isso tem sido urgente.

Temos ideais pra construir um hospital para os idosos, algo que é uma inovação na cidade.

No transporte público, tivemos candidatos para resolver esse problema e não resolveram. Se não resolveram no passado não vão resolver agora. Nós vamos chamar essas empresas do transporte público para rever os contratos.

Na segurança, nós vamos contratar mais pessoas pra nossa segurança, nós vamos dar poder de polícia para o agente. Nós vamos capacita-los pra isso. Precisamos dar garantias e segurança pra esses agentes.

Na educação, nós daremos aos professores que cumprirem metas, o 14º e 15º salário. Por que precisamos valorizar esses profissionais. Precisamos resgatar o respeito ao professor, junto a uma educação com qualidade. Precisamos que nossas crianças aprendam os valores da pátria, hino nacional, voltado para a base: Deus, Pátria e Família.

ON Jornal – O que está errado na administração de Manaus, que precisa ser mudado urgente?

Menezes – Muita coisa precisa ser mudada, precisa ser desburocratizado. O Prefeito precisa se fazer mais presente em toda a cidade, coisa que não acontece.

Infelizmente, nós tivermos deturpações de dinheiro púbico. Veja um exemplo, em 2019, a secretaria de comunicação teve um orçamento de 128 milhões, ou seja, 11 milhes de reais por mês, coisa que na secretaria de empreendedorismo teve orçamento de 8 milhes por ano. Então, tem alguma coisa que precisa ser mudada, precisamos inverter essa pirâmide. Nós das forças armadas, temos um zelo com a coisa pública, isso já vem de nós.

Precisamos inverter esse desperdício de dinheiro público.

ON Jornal – Qual o seu projeto dos sonhos, caso seja eleito?

Menezes – Olha, o projeto dos meus sonhos é, primeiro: Manaus faz 351 anos e não tem regularização fundiária. Sem isso, não chega água, não chega luz, não chega nada. Isso é complicado.

Outro ponto, não temos um ponto de incentivo do turismo, temos rios e florestas aqui, mas não tem um plano que explore isso.

O turismo está ligado diretamente ao empreendedorismo. Precisamos fazer de Manaus uma cidade digital. Isso já foi prometido por esse prefeito que aí está, e nada. Só promessas. Precisamos disso na nossa cidade.

Precisamos da volta da secretaria do esporte, as pessoas estão pedindo isso.

O transporte publico também está em nosso radar. A saúde principalmente voltada para nossas crianças especiais e idosos, olharemos com atenção para esse público. Na tecnologia, queremos que empresas tecnológicas de inovação estejam aqui para dar oportunidade para nossos jovens. Enfim, muitas outras coisas.

ON Jornal – Como você vê a disputa para conquistar os eleitores do presidente. Você acha que isso está lhe prejudicando, uma vez que Bolsonaro também já falou em apoiar o Cap. Alberto Neto?

Coronel Menezes – Olha, em nenhum momento o presidente Bolsonaro anunciou apoio ao Capitão Alberto Neto. Em nenhum momento. Isso é por que o capitão e deputado tenta a todos custo, desesperadamente, que o presidente apoie a campanha dele.

Porém, o próprio Bolsonaro já disse em uma Live recentemente, que ele tem um candidato em Manaus e ele é Coronel do Exército. Então, o que passar disso é mimimi, é politicagem, com objetivo de desconstruir outros candidatos.

E esse deputado aí, apesar de novo na politica sabe muito bem a arte da mentira e da enganação. Ele aprendeu com os seus dois padrinhos na política, é só você procurar quem é.

Eu o desafio a mostrar um vídeo do presidente Bolsonaro apoiando a candidatura dele.

ON Jornal – Para o bem de Manaus, você faria articulação com candidatos de esquerda?

Menezes – Olha sim! O estado democrático de direito diz que toda a sociedade tem de ter sua participação no governo.

Nós estando na prefeitura, vamos chamar todos os segmentos para o governo, aqueles que tem boas ideias e sugestões para melhorar a cidade.

Nós temos pessoas em todas as áreas, então aqueles que tiverem boas ideais, serão bem-vindos.  

ON Jornal – Segundo as últimas pesquisas, você está em 6 lugar no ranking, qual o plano para conquistar mais eleitores e subir nas pesquisas?

Menezes – Olha, essas pesquisas são vergonhosas. Só você olhar quem está por trás da pesquisa que você verá que elas são fraudulentas e não reflete a opinião da sociedade.

Na verdade, no nosso levantamento, nós estamos em 3º lugar no ranking de pesquisa espontânea e nosso crescimento se dá por dois fatores: o trabalho de mídia e de corpo a corpo, percorrendo toda a cidade. Eu sou um homem de campo, tenho vocação na administração pública, fui gestor no exercito e na iniciativa privada. É isso que nós somos.

ON Jornal – Muito se fala sobre como foi sua saída da Suframa, ela foi de fato conturbada? Teve influência de terceiros no cargo?

Menezes – Aqueles que falam que foi conturbada a minha saída da Suframa, são políticos que buscam descontruir o trabalho dos outros. Infelizmente, muitos políticos estão com rabo preso na Policia Federal e CPI’s, na Operação Lava Jato e enfim. Nossa apolítica precisa ser renovada.

O que aconteceu foi que o presidente Bolsonaro me convidou para um outro projeto em Brasília e eu decidi ficar em Manaus. E ele está nos apoiando na prefeitura. Novamente, ele já disse publicamente: “Tenho um candidato a prefeito em Manaus e esse candidato é um coronel do exército.” Então devido a isso, eu pedi exoneração pra concorrer à prefeitura de Manaus. E foi só. Tudo o que passar disso é falácia.

Infelizmente, nós temos políticos em Manaus dessa classe, com rabo preso com PF, com medo da prisão, com medo de pessoas que querem trabalhar.

ON Jornal – O que gostaria de acrescentar?

Menezes – Abri mão do fundo partidário por entender que este dinheiro deva ser investido no combate ao Covid-19. Estou usando meus recursos próprios e também de apoiadores. Sou o único candidato que tem o DNA do presidente Bolsonaro e independente.

Não me coliguei com ninguém porque quero iniciar uma nova liderança política em meu estado. Não serei caudatário de nenhum cacique político do Amazonas que domina o Estados nos últimos 40 anos.

E você eleitor que quer fazer a diferença tenho uma boa ideia: vote 51, coronel Menezes.