“Sempre tive um sentimento positivo sobre a política. O fato de eu ter parentes no meio jurídico não implica em não ter opiniões próprias”, diz Amom Mandel em Entrevista Exclusiva

0
83

Eleito com mais de 7.500 mil votos, o vereador Amom Mandel, com apenas 19 anos, é o vereador mais a ocupar uma cadeira na CMM em 2021. É o que podemos chamar de renovação na política Manauara.

Com pouco menos de um mês, após tomar posse na CMM, já é um dos parlamentares mais ativos da casa.

Por receber várias denúncias da população, o vereador criou o site gabinetedoamom.com para facilitar a conexão das pessoas com a ouvidoria, para detalhar as propostas e trabalhos realizados.

Em entrevista exclusiva ao ON Jornal, o Vereador Amom fala sobre suas ideias como parlamentar e como pretende resgatar a confiança do eleitor em umapolítica desacreditada. Confira:

ON Jornal – Com um mês de mandato, você já ganhou notoriedade junto a sociedade manauense, como você vê o início dos trabalhos na Câmara Municipal?

Amom Madel – É natural, na política, que tenhamos pontos altos e baixos. Nesse momento, recebo com naturalidade a reação. É um ponto alto, pois estamos no início do mandato e quero mostrar a todos para o que vim. É importante destacar que a maior parte do que tenho feito é pura e simplesmente o que todo vereador – todo político, aliás – deveria fazer. Como parlamentar municipal, é meu papel fiscalizar o prefeito. O que tenho feito além disso são os projetos que me comprometi durante e após a campanha: o gabinete online, o plantio das árvores (projeto Galho Forte), o processo seletivo com uma banca independente de fora do AM e outras iniciativas.

ON Jornal – Sobre a processo seletivo inédito em seu gabinete, quais os detalhes dessa ideia? Você acha que isso pode influenciar para o fim do “apadrinhamento de cargos” na casa?

Amom Madel – O processo seletivo foi o meu primeiro compromisso pós-eleições. Meu mandato é participativo, logo, nada mais justo do que disponibilizar parte das vagas de meu gabinete, para quem tem qualificação e interesse em ajudar. Os edital, com todos os detalhes, sairá neste domingo (31/01).

Quem já está lotado no gabinete foi escolhido porque tem acesso, em alguma dimensão, às bases eleitorais, motivo pelo qual levei em conta a minha relação de confiança com as pessoas. Com o processo seletivo, quero dar o pontapé inicial e tornar a iniciativa um modelo para o resto do Estado. Muitos já fizeram processos seletivos, mas pouquíssimos tiveram esse nível de transparência.

ON Jornal – Você foi um dos responsáveis pela ação que adiou o Enem no Amazonas para fevereiro. Agora, o Inep pediu o cancelamento das provas. Explica pro estudante que ainda não entendeu, qual a gravidade dessa situação e como o vereador pretende garantir a realização do exame aqui no Estado?

Amom Madel – Na realidade a ação foi ideia minha e de minha equipe, surgiu após recebermos denúncias em nosso gabinete online. Com muita lucidez recebemos o apoio do Deputado Federal Marcelo Ramos, que passou a assinar a peça jurídica conosco.

Agora, no episódio mais recente, o Inep contesta o mérito da nossa ação, ou seja, entende que o adiamento do Enem no Amazonas pode causar prejuízos ao exame em todo país. Não é verdade. Entendemos que o momento sanitário que o Estado vive é o mais ruim de toda história, e não permitia que as provas fossem aplicadas em janeiro. Adiar não é cancelar! Vamos lustrar para ter um Enem seguro no Amazonas.

O Inep argumenta que já está se esforçando para fazer as provas no AM, mas, ao mesmo tempo, quer se livrar da obrigação imposta pela liminar que conseguimos na justiça. O único motivo plausível para não quererem ser obrigados é se estiverem planejando, lá na frente, dizerem que “não deu” para fazer o exame.

ON Jornal – E sobre ser de uma família nobre de juízes em Manaus: avô, presidente do TJAM, padrasto, presidente do TCE-AM e mãe juíza. Você recebe deles o apoio técnico na construção das ações do seu mandato?

Amom Madel –  Eu sempre tive um sentimento positivo sobre a política. O fato de eu ter parentes no meio jurídico não implica em não ter opiniões próprias. Pelo contrário. Todas as ações tomadas em meu mandato foram pautadas por mim e minha equipe técnica, não por causa de nenhum “apoio técnico”. Eu sou independente.

ON Jornal – Como ouvidor-geral na Câmara, quais as principais denúncias que você já recebeu nesse início de trabalho?

Amom Madel – Nossa proposta é ampliar os canais da Ouvidoria da CMM. Criamos o gabinetedoamom.com como o primeiro de diversos projetos que vamos implantar, em breve, para receber demandas e respondê-las com mais rapidez e propriedade, dentro do que a legislação permitir.

ON Jornal- Você já disse ser um porta-voz da juventude. Mas, como podemos ver, você responde também por outros anseios da sociedade. Há mudanças no foco da administração do seu gabinete?

Amom Madel – Não há mudanças de foco ou administração. O fato é que como vereador eu não posso me eximir de atender pedidos que chegam até mim, sendo eles conectados à pauta da juventude ou não. Tenho o papel de fiscalizar todas as ações do executivo municipal, independente da pauta ou classe que solicitar.

ON Jornal – O que Manaus pode esperar de Amom Mandel nos próximos meses? O que mais de inovador está por vir?

Amom Madel – Acredito que Manaus pode ter a certeza de que serei ativo no meu propósito de fazer o melhor. Sabemos que ainda temos muito a fazer, afinal, estamos com um mês de mandato ainda. Mas penso que já foi possível perceber que minha participação ativa nas redes sociais, expondo minhas ações como parlamentar e questionando o que tiver que ser questionado, será regra nesse meu mandato.