Seduc destina R$ 10,7 mi à empresa envolvida em superfaturamento, denuncia Wilker Barreto

0
41

Fornecedora de refeições preparadas para as escolas da capital e do interior do Amazonas, a empresa G. H. Macário Bento, cujo o dono Gustavo Henrique Macário Bento foi preso na operação Eminência Parda, da Polícia Federal (PF), no mês de julho, recebeu no último dia 7 de novembro, R$ 10,7 milhões  da Secretaria de Educação do Estado (Seduc) por um acordo firmado sem contrato e sem licitação por parte do Governo.

A denúncia partiu do deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), na qual o parlamentar revelou que a empresa, denunciada em março na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) por praticar sobrepreço, desta vez recebeu cinco empenhos da Seduc referente aos meses de agosto e setembro deste ano.

De acordo com os dados do Portal da Transparência, somente na última semana, a G. H. Macário Bento recebeu cinco valores: R$ 2.146.084,71; R$ 2.036.818,02; 1.683.998,01; R$  2.983.995,72 e R$ 1.940.329,26, todos em caráter indenizatório. “No começo do ano, o Governo contratou a empresa por dispensa de licitação, com um sobrepreço que cheguei a denunciar no Tribunal de Contas. Passados 11 meses, o Executivo não fez nenhuma licitação e a Macário Bento segue recebendo seus pagamentos que beiram mais de R$10 milhões. Isso é uma afronta ao erário público”, explicou Barreto.