Rodrigo Guedes se destaca como um dos principias nomes da nova Câmara Municipal: “Eu sou livre para falar única e exclusivamente em nome da população” diz em Entrevista Exclusiva

0
65

Com menos de um mês de mandato, o vereador eleito, Rodrigo Guedes (PSC), já é um dos principais nomes na Câmara Municipal de Manaus (CMM) em 2021. Nas redes sociais, o ex-Procon, tem se destacado dos demais 40 empossados.

Com a crise causada pela covid-19, os índices de descumprimentos de medidas restritivas e o número de fraudes nos preços de produtos, aumentaram e tem causado prejuízo para muita gente.

As atividades presencias na Câmara ainda não voltaram, mas ao que parece, Guedes já mostrou a que veio e tem muito trabalho pela frente.

Ao ON Jornal, ele revela seu plano para barrar os abusos causados pela crise e fala da responsabilidade em ser a voz daqueles que precisam ter seus direitos respeitados. Confira.

ON Jornal – Em seu primeiro ato, você protocolou a revogação do aumento salarial dos vereadores. Ali você mostrou ser diferente.

O que você tem a dizer sobre aqueles vereadores que foram omissos à medida. Eles terão dor de cabeça para aprovar projetos que vão contra a vontade do povo?

Rodrigo Guedes – Eu fiz porque eu vi que foi um clamor popular. Não poderíamos começar os nossos mandatos com uma medida como essa: “o aumento do salário dos vereadores”. Atitudes como essa, em meio à uma pandemia, de mortes, eu entendo que seja algo imoral e injusto para com a população. E eu vou lutar para que os demais vereadores se juntem a mim e revoguem essa medida.

Sobre os vereadores omissos, eu não vou julga-los. Eu estou apenas fazendo o meu papel, aquilo que fui eleito para fazer. Quem vai julgar a atitude desses vereadores será o povo.

ON Jornal – Você foi o único vereador que doou metade do salário para ajudar na pandemia em Manaus. Como surgiu essa iniciativa e quais foram resultados?

Rodrigo Guedes – Bom, sim. Eu fiz a doação por que sabia que isso ajudaria a salvar vidas.

Doar, foi tirar um valor que é devido a mim, mas com certeza salvou vidas. Nós compramos vários cilindros e já entregamos. Comprei aparelhos para medir pressão para o SPA da Redenção. Doei mais três cilindros de oxigênio para o SPA do São Raimundo, oxímetro também, que acabou custando mais que a metade do salário.

Mas tudo isso foi em prol do povo. Foi um gesto também, para incentivar qualquer pessoa a doar.

Foi minha contribuição e solidariedade para aqueles que precisavam.

ON Jornal – Com a pandemia, veio também as fraudes nos preços de produtos, como remédios e agora, cilindros de oxigênio. Quais foram as medidas contra esses abusos?

Rodrigo Guedes – A pratica do aumento de preços, em meio à uma pandemia, é crime e precisa ser combatido. Isso é imoral. É brincar com vidas.

Nesse tempo, nós barramos muitos abusos nesse sentido. Eu e o Procon-AM estamos em cima dos estabelecimentos para travar esse crime. E enquanto eu cumprir o mandato como vereador, vou me posicionar contrário a qualquer medida que lese o consumidor.

ON Jornal – Agora especificamente, sobre a crise dos oxigênios e da prioridade na destruição das vacinas. Como o vereador tem visto a atuação da prefeitura e do governo? Eles têm, de fato, cumprido seus papeis?

Rodrigo Guedes – Sim, é óbvio que houve falha no planejamento. Isso está claro! Os hospitais não estavam preparados. A população também teve sua parcela de culpa. Infelizmente, algumas pessoas não compreenderam que a pandemia não havia passado e se aglomeraram.

O período eleitoral e as festas de fim de ano também foram responsáveis. Contudo, o poder público tinha acesso a todos os dados de incidências da covid-19. Eles deviam prever o problema antes da “bomba estourar”. Eles deveriam ter se planejado. E Isso não foi feito.

Foi uma falha de planejamento muito grave que matou várias pessoas.

ON Jornal – A pandemia tem dificultado a vida do consumidor na busca por seus direitos, devido ao trabalho remoto de muitos órgãos. Com isso, qual orientação você dá às pessoas que não conseguem buscar seus direitos?

Rodrigo Guedes – É fato, a pandemia complicou tudo. Complicou as relações de consumo. Principalmente a relação de serviços públicos. As relações com a Águas de Manaus e Amazonas Energia também foram afetadas. A pandemia dificultou a solução desses problemas.

Mas, a orientação que eu dou é que você guarde qualquer tipo de prova. Como prints, documentos, anotação, enfim.

Guardem tudo, não façam nada verbal. Anotem também os números de protocolo, para que assim, mais tarde, a justiça possa reaver seus direitos.

ON Jornal – Em recente medida, o vereador pediu o cancelamento do Carnaval em Manaus. De que forma, a não realização do evento ajudaria a cidade a sair da crise?

Rodrigo Guedes – Bom, essa é uma medida obvia para mim, devido a situação da cidade.

E fiz com uma condicionante, para que o recuso destinado ao Carnaval, os R$ 5,2 milhões do Estado e os R$ 1 milhão da Prefeitura seja integralmente destinado para a saúde pública, que está agonizando no Amazonas.

E o cancelamento ainda não aconteceu, e é por isso que estou fazendo esse pedido. Isso precisa ser oficializado.

ON Jornal – O que você tem a dizer sobre a responsabilidade em ser visto como a voz do consumidor na Câmara municipal. O que as pessoas podem esperar de Rodrigo Guedes?

Rodrigo Guedes – Podem esperar do vereador Rodrigo Guedes muita luta, trabalho e ética. Minha principal bandeira é a ética.

Eu luto pela moralização do serviço público. Eu não quero ser apenas aquele que fala mal, mas aquele também que apresente propostas que tragam melhoria de verdade para a vida das pessoas.

Eu quero ser livre e independe. Aquilo que tiver errado, eu falo. O que tiver certo, também.

Essa ideia de ser de base ou oposição, te deixa preso. Não quero isso. Eu sou livre para falar única e exclusivamente em nome da população.