“Quero cumprir meu papel, que é ajudar a melhorar a qualidade de vida dos indígenas”, diz Amavi Deni, vereador indígena eleito no Amazonas

0
42

No primeiro turno das eleições municipais deste ano, várias cidades elegeram candidatos indígenas para o cargo de prefeito e vereador, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
O Brasil teve 2.205 candidatos indígenas nas eleições de 2020 considerando todos os cargos, um aumento de 29% em comparação às eleições anteriores. A maioria deles estava na Região Norte (927).
No Amazonas, o candidato indígena, Amavi Minu Deni (MDB), foi eleito vereador, com 290 votos, no município de Itamarati-AM (há 985 km de Manaus).
Nascido na aldeia Morada Nova do Rio Xerua, na Terra Indígena Deni, Amavi tem 36 anos e é professor em escola municipal. Ao ON Jornal, ele conta como recebeu o desafio de entrar na política e a emoção de ser eleito. Confira!

1- Como você foi escolhido para ser o representante da sua comunidade?
Amavi – Fui escolhido pelo movimento indígena para ser representante. Todos já sabiam da minha liderança e criatividade no meio do nosso povo.
Sempre participei das atividades, de reuniões e assembleias. Sempre fui ativo.
Então, eu fui escolhido através de organização do povo Kanamari e Deni para representar os povos tradicionais. Espero honrar esse compromisso.
2- Conta pra gente como foi a emoção de ter sido eleito vereador?
Amavi – A emoção foi enorme. Algo inexplicável. Meu pensamento logo foi sobre o trabalho que vou ter que realizar. Pensei sobre a minha gestão. Pensei sobre minha responsabilidade em dar voz ao povo. Agora vou ter que ver meu gabinete, as pessoas que vão me ajudar. Eu quero muito ajudar, mas também quero ser ajudado. Nada se faz sozinho.
Mas eu sinto que realizei o meu sonho, de ser índio eleito. Agora, eu to preocupado em escolher as pessoas certas para somar com os nossos sonhos.

3- Quais são os principais projetos que vai defender na câmara da Itamarati?
Amavi – O meu foco principal é defender os povos indígenas na Câmara. Quero defender nosso direito à saúde, educação e outros interesses de nosso povo.
Nós precisamos nos enxergar na Câmara.
Nossa moradia precisa de ajuda. Tem muito parente que não moradia digna. Isso é triste demais.

4- No geral, o que a cidade precisa de urgente?
Amavi – Olha, de urgente, juntamente com o prefeito, precisamos criar um local para atender a população indígena. Nossa demanda é muito grande e infelizmente, não somos assistidos como deveríamos.
Então, eu quero muito lutar por uma secretaria especial para o índio.
Queremos um escritório para a Associação do Povo Deni do Rio Xerua (ASPODEX) e outro escritório para Associação do Povo Takuma do Rio XeruaIsso (ASPOTAX). Por que com isso, poderemos criar uma secretaria especial para os indígenas. Isso é algo que precisamos. Quero lutar pra que isso aconteça.
5- O que os povos tradicionais de Itamarati mais necessitam?
Amavi – Precisam do básico. Na nossa comunidade, o povo Kanamari e Deni, necessitam de melhora na saúde, educação e moradia. Isso será nossa prioridade. Precisamos urgente de medidas de qualidade de vida. Foi pra isso que me candidatei.

6- Você eleito, se torna uma referência para jovens indígenas em todo o país. O que você tem a dizer pra esses jovens que também desejam se engajar na política?
Amavi – Eu farei o possível para ser um bom represente para os nossos jovens. Nós precisamos que eles se levantem para nos defender e se defender. Devemos ter lideranças a nível local, regional e nacional.
Eu quero dizer a eles que sim, é possível. Eu consegui.
O jovem nativo precisa se levantar pra isso. Eu quero muito ser um espelho para outros jovens indígenas.

7- Como você espera ser lembrado no final do seu mandato?
Amavi – Eu quero ser lembrado como alguém que fez pelo seu povo. Quero cumprir meu papel, que é ajudar a melhorar a qualidade de vida dos indígenas.
Quero ser lembrado também como um líder que ajudou no surgimento de mais lideranças e movimentos sociais.