Prefeitura recebe prêmio inédito no Amazonas por projetos de capacitação, inclusão e empregabilidade

0
201

O trabalho da Prefeitura de Manaus na elaboração e fortalecimento de projetos de capacitação, inclusão e empregabilidade renderam à cidade mais um prêmio nacional e inédito para o Amazonas. O reconhecimento foi dado à professora Luiza Bessa Rebelo, secretária municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad) e que durante quatro anos esteve à frente da Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi).

O case “Os programas de inclusão socioeducacional da Espi, qualificação e empregabilidade” ganhou o primeiro lugar, na categoria Inovação na Administração Pública, do Prêmio Nacional Guerreiro Ramos de Gestão Pública 2017. O trabalho foi escrito pela professora Luiza Bessa, em parceria com os professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Manoel Carlos Oliveira Júnior e Andreia Brasil, concorrendo com outros 13 inscritos de todo o país.

“Nossos programas socioeducacionais, como o “Bolsa Universidade”, “Bolsa Idiomas” e “Bolsa Pós-Graduação”, não se restringem na concessão de bolsas de estudo a pessoas de baixa renda, agregaram o diferencial de envolver os beneficiários em projetos que possibilitam experiências profissionais aos estudantes, oportunidades de capacitação em cursos, palestras e ações visando à empregabilidade dos bolsistas”, destacou o prefeito Arthur Virgílio Neto.

Nos últimos cinco anos, a prefeitura não apenas promoveu o impulsionamento do Programa Bolsa Universidade, mas também a criação do Bolsa Idiomas e do Bolsa Pós-Graduação. Para a atual diretora-geral da Espi, Stela Cyrino, a continuidade desses programas é fruto de uma gestão séria e comprometida com resultados estratégicos de longo prazo. “O grande objetivo desse programa é, também, promover a participação social e a cidadania dessa coletividade de baixo poder aquisitivo. Esse reconhecimento só enaltece e mostra o quanto é exitoso dentro da sociedade de Manaus”, destacou Stela