PIB do Brasil recua 9,7% no 2° trimestre, maior queda da história

0
28

O Produto Interno Bruto do Brasil (PIB) caiu 9,7% no segundo trimestre de 2020, na comparação os três primeiros meses do ano. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (1°) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação ao mesmo período do ano passado, a queda registrada é de 11,4%.
O resultado é pior do que o previsto por analistas da Agência Bloomberg e do Valor Data. O recuo esperado, até então, era de 9,2% ante o primeiro trimestre, e de 10,6% na comparação com abril, maio e junho de 2019. Segundo o IBGE, trata-se das piores taxas registradas desde o início da série histórica, iniciada em 1996.

No valor total de 1,7 trihão, o PIB brasileiro pontuou negativamente pelo segundo trimestre consecutivo, o que configura recessão técnica. A situação não ocorria no país desde o fim de 2016.

O período analisado corresponde aos meses de maior impacto econômico da pandemia do novo coronavírus, fenômeno observado também em outros países. A expectativa do mercado é de que a economia se recupere a partir deste terceiro trimestre – provavelmente, de forma lenta, por causa dos efeitos da epidemia, como desemprego e crise fiscal.

Setores
O PIB da indústria caiu 12,3% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre de 2020. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, o PIB da indústria mostrou queda de 12,7%.

Já o PIB da agropecuária subiu 0,4% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre do ano. Em relação ao segundo trimestre de 2019, o PIB da agropecuária mostrou alta de 1,2%.

O Produto Interno Bruto de serviços caiu 9,7% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre de 2020. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, o PIB de serviços revelou uma queda de 11,2%.

O consumo das famílias, por sua vez, caiu 12,5% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre, segundo o IBGE. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, o consumo das famílias mostrou queda de 13,5%.

O consumo do governo caiu 8,8% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, o consumo do governo recuou 8,6%.

Exportações
As exportações cresceram 1,8% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre de 2020, segundo o IBGE. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, as exportações mostraram alta de 0,5%.

As importações contabilizadas no PIB, por sua vez, caíram 13,2% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre de 2020. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, as importações mostraram queda de 14,9%.

A contabilidade das exportações e importações no PIB é diferente da realizada para a elaboração da balança comercial. No PIB, entram bens e serviços, e as variações porcentuais divulgadas dizem respeito ao volume. Já na balança comercial, entram somente bens, e o registro é feito em valores, com grande influência dos preços.

FBCF
A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) caiu 15,4% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre de 2020. Ante o segundo trimestre de 2019, a FBCF mostrou queda de 15,2%. Segundo o instituto, a taxa de investimento (FBCF/PIB) ficou em 15% no segundo trimestre de 2020.

Poupança e investimento
A taxa de poupança ficou em 15,5% do Produto Interno Bruto no segundo trimestre de 2020. Já a taxa de investimento ficou em 15% no segundo trimestre de 2020, informou o IBGE.

Via. Estado de Minas