Pesquisa aponta que exame de sangue pode detectar câncer de pele precoce

0
106

Diagnosticar precocemente a forma mais letal do câncer de pele, o meloma, é um desafio crucial de dermatologistas que, geralmente, o  descobrem por meio de sinais na pele de pacientes. Mas um novo estudo australiano, publicado em julho na revista Oncotarget, promete revolucionar o tratamento do câncer com um exame de sangue experimental que pode potencialmente encontrar o melanoma muito antes de o dermatologista detectá-lo visualmente.

O novo teste de sangue experimental, descoberto por pesquisadores na Austrália, detectou com precisão a doença em 81% das vezes. Segundo os pesquisadores, o teste detecta uma combinação particular de 10 anticorpos no sangue de pessoas com câncer de pele melanoma.

De acordo com a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, quanto maior é o tempo para descoberta do melanoma, maiores as dificuldades no tratamento.

Em 2018, a Skin Cancer Foundation estima que mais de 91.000 casos de melanoma serão diagnosticados depois que eles já se tornaram invasivos, por esse motivo o teste experimental com a detecção precoce por meio do exame de sangue é visto com entusiasmo por dermatologistas e oncologistas.

Usando o teste, os médicos poderiam detectar o melanoma observando o seu sangue, antes mesmo de observar a pele dos pacientes.

O exame promete ser ainda mais importante para aqueles com histórico familiar de câncer de pele.