Pela primeira vez um processo do envelhecimento foi revertido em humanos: estudo

0
18

Cada vez que uma célula dentro de seu corpo se replica, um pedaço de sua juventude se desfaz. Isso ocorre por causa do encurtamento dos telômeros, estruturas que “cobrem” as pontas de nossos cromossomos.

Agora, cientistas em Israel dizem que foram capazes de reverter esse processo e estender o comprimento dos telômeros em um pequeno estudo envolvendo 26 pacientes.

Os participantes sentaram-se em uma câmara de oxigênio hiperbárica por cinco sessões de 90 minutos por semana durante três meses e, como resultado, alguns dos telômeros de suas células foram estendidos em até 20 por cento.

É uma descoberta impressionante e algo que muitos outros pesquisadores tentaram no passado sem sucesso. Mas é claro que vale a pena sinalizar que este trabalho teve uma amostra pequena, e os resultados terão que ser replicados antes que possamos ficar muito animados.

No entanto, o fato de que a oxigenoterapia hiperbárica parece afetar o comprimento dos telômeros é uma idéia atraente que vale a pena ser investigada mais a fundo.

O pesquisador principal ,Shair Efrati, médico da Faculdade de Medicina e da Escola de Neurociência Sagol da Universidade de Tel Aviv, explicou ao ScienceAlert como foi a inspiração por trás de seu experimento.

“Após o experimento com gêmeos feito pela NASA, onde um dos gêmeos foi enviado para o espaço sideral e o outro ficou na Terra, demonstrou uma diferença significativa no comprimento dos telômeros, percebemos que as mudanças no ambiente externo podem afetar processos centrais do envelhecimento celular”, disse Efrati.

Os telômeros são pedaços repetidos de código que agem como no DNA como a cobertura de plástico da ponta de um cadarço.

Eles se copiam junto com o resto dos cromossomos sempre que uma célula se divide. Ainda assim, com cada replicação, pequenos fragmentos de código da ponta da sequência não conseguem chegar à nova cópia, deixando o cromossomo recém-duplicado um pouco mais curto do que seu predecessor.