Na cidade mais violenta do Brasil, não tem emprego nem hospital

0
217

O município de Queimados, na Baixada Fluminense, é classificado como o mais violento do Brasil, de acordo com a última edição do Atlas da Violência, publicação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

 

O relatório, lançado em junho passado, referente a 2016, apontou o recorde de 134,9 homicídios e mortes violentas por 100 mil habitantes em Queimados, que fica a 50 quilômetros da capital. A média nacional, nesse mesmo ano, para municípios com mais de 100 mil habitantes, foi de 38 homicídios, quase quatro vezes menos. Queimados tem 145 mil habitantes. 

Segundo dados do IBGE, somente 11,7% da população está ocupada, o que confere à cidade posição 83, do total de 92 municípios do Rio de Janeiro. O salário médio, ainda segundo o IBGE, é de 2,3 salários mínimos, mas o índice de pessoas com rendimento mensal de até meio salário mínimo é alto, de 39%.

 

Na única Unidade de Pronto Atendimento (UPA), é comum as pessoas passarem horas esperando por atendimento. Mas o pior, relatam os pacientes, é não dispor de um hospital no município. Para casos mais graves, a saída é pegar um trem, fazer baldeação em uma estação mais adiante, e ir até o Hospital Salgado Filho, no Méier, zona norte do Rio.