Médico e Ativista contra violência sexual ganham Nobel da Paz

0
123
A combination picture shows the Nobel Prize for Peace 2018 winners: Yazidi survivor Nadia Murad posing for a portrait at United Nations headquarters in New York, U.S., March 9, 2017 (L) and Denis Mukwege delivering a speech during an award ceremony to receive his 2014 Sakharov Prize at the European Parliament in Strasbourg November 26, 2014. REUTERS/Lucas Jackson/Vincent Kessler/File photos

O médico ginecologista congolês Denis Mukwege e a

ativista yazidi Nadia Murad receberam o prêmio Nobel da Paz na sexta-feira (5) por seu trabalho contra a violência sexual em ambientes de guerra.

Mukwege, de 63 anos, tratou centenas de vítimas de estupro durante a guerra civil do Congo, onde comanda um hospital em Bukavu.

Nadia Murad, 25, é parte da minoria Yazidi no Iraque. Ela foi sequestrada pelo Estado Islâmico (EI) em 2014 e foi vítima de violência sexual por meses. Depois de sua experiência, se tornou uma das mais notáveis ativistas de direitos humanos na luta contra a violência sexual em ambientes de guerra. Foi a primeira Embaixadora da Boa Vontade para a Dignidade dos Sobreviventes de Tráfico Humano das Nações Unidas.

“Cada um deles à sua maneira ajudou a dar maior visibilidade à violência sexual em tempo de guerra, de modo que os perpetradores possam ser responsabilizados por suas ações”, diz o texto oficial da Academia do Prêmio Nobel, na Suécia. O prêmio reconhece a maior contribuição para a paz mundial.