“Me sinto disposto e com gás suficiente para enfrentar”, diz Amazonino sobre concorrer às eleições aos 80 anos

0
23

Amazonino Armando Mendes, é um advogado, empresário e político amazonense. Conhecido como ‘’Negão’’, Amazonino tem mais de 40 anos de vida pública, o que o torna uma das figuras públicas mais influentes do estado.

Já foi prefeito de Manaus, governador e Senador do Amazonas. Aos 80 anos, Amazonino vai disputar mais uma eleição para a prefeitura de capital e segundo as pesquisas recentes, é o favorito para substituir o atual prefeito Arthur Neto.

Ao ON Jornal, ele revela o motivo de participar de mais uma disputa eleitoral e o que tem de diferente pra cidade nos próximos quatro anos, caso saia vencedor do pleito. Confira!

ON Jornal – Por que mais uma vez tentar a eleição para o executivo em Manaus?

Amazonino – O mundo enfrenta, hoje, imensas dificuldades por conta da pandemia de Covid-19 e da crise que se desencadeou a partir daí, levando famílias ao desalento, com o desemprego, com a falta de perspectiva.

Não podia me acomodar diante dessa situação, com mortes absurdas acontecendo em nossa cidade e com operações policiais mais uma vez focando na área da saúde, que vem sendo tão relegada. Por isso, aceitei disputar a eleição, na intenção de ajudar, de colocar a minha experiência de 40 anos de vida pública a serviço da população.

ON Jornal – Na última eleição, você falou em ter experiência contra o seu adversário. Hoje, nós vemos um governo do estado em uma crise, cheio de acusações de irregularidades, com uma CPI que o investiga de perto. Você acha que essa situação lhe ajuda a ser um bom nome para a prefeitura de Manaus?

Amazonino – Veja, eu cumpri quatro mandatos como governador, três como prefeito e fui senador. Sou “ficha limpa”. As contas das minhas gestões foram todas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado, inclusive a do mandato suplementar que cumpri de pouco mais de um ano no governo, em 2018. Não tenho nenhuma condenação na Justiça. Então, me sinto preparado sim e tenho ao meu lado, como candidato a vice o jovem e atuante deputado estadual Wilker Barreto, que tem se mostrado um gigante na capacidade de trabalho.

Nesses anos de vida pública sempre prestigiei as pessoas com essa força motivadora. Foi isso, e o apoio popular, que me permitiu desenvolver tantos projetos importantes, como a criação da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), a construção de hospitais como o Francisca e o João Lúcio e tantos outros projetos que muito me orgulham. Não por vaidade, mas por sentir o gosto do dever cumprido, de ter dado a minha contribuição sempre que fui chamado.

ON Jornal – No município, o que está errado hoje que precisa ser mudado urgente?

Amazonino – O que precisamos, no momento, é dar alento às famílias que estão desassistidas, com o desemprego e a fome batendo à porta, para que se sintam minimamente protegidas. No meu Plano de Governo, estou colocando o retorno do Programa Direito à Vida, que criei quando fui prefeito e que pretendo retomar, auxiliando as famílias em vulnerabilidade social.

Também precisamos, urgentemente, estimular a geração de empregos, impulsionar os jovens ao mercado de trabalho, dotar as escolas de equipamentos tecnológicos e preparar os professores e gestores para o uso das novas ferramentas.

Na saúde, além de reestruturar e ampliar os serviços de atenção básica, também quero implantar o Programa de Consultório de Rua, levando atendimento às áreas de mais difícil acesso. Na área de trânsito e mobilidade, é preciso desafogar os horários de pico, com aplicação de tecnologias de sincronização de semáforos e câmeras inteligentes. Com isso, vamos reduzir o tempo médio de deslocamento casa-trabalho. Também quero reestruturar as rotas do transporte público, ampliar e modernizar a frota; organizar e ampliar as áreas de ciclovias, trazendo segurança aos ciclistas e motoristas; e implantar programa para recuperação de calçadas em Manaus.

ON Jornal – Existe algo que você não conseguiu fazer em suas gestões anterior e que agora, caso eleito, você faria?

Amazonino – Fiz bastante coisa, com ajuda de profissionais competentes que fizeram parte de minhas equipes ao longo do tempo e com o apoio do povo, sem o qual não teria realizado nada, tenho absoluta certeza.

Mas sempre há muito o que fazer, o mundo é muito dinâmico e precisamos estar sempre atentos para as necessidades e demandas que surgem. Veja a pandemia. Quem podia imaginar? E com isso surgiram demandas extas, como a necessidade de equipar as escolas para, quando preciso, poder atuarem de forma híbrida ou com ensino a distância.

ON Jornal – Houve muita fake news sobre a seu estado de saúde nos últimos meses. Você vê isso como um ataque dos rivais para desmotivar os seus eleitores? O que o candidato tem a dizer sobre isso e como está o real estado de saúde de Amazonino Mendes hoje?

Amazonino – Sou um homem de 80 anos, que segue uma dieta saudável, todas as orientações médicas. Me sinto muito disposto e com gás suficiente para enfrentar a eleição e uma nova administração. Quanto às fake news, é lamentável. Várias vezes tive que gravar vídeos desmentindo boatos de que eu estava internado em São Paulo. Vejo isso com profunda tristeza. A política não é para ser feita dessa forma sorrateira.

De minha parte, reforço o compromisso de seguir com uma campanha limpa, de propósitos, de embate de ideias, de busca de soluções para a cidade, que não merece e não aceita mais esse tipo de comportamento. O povo é soberano e está atento a tudo.

ON Jornal – O Senhor já foi associado ao desmatamento a muito tempo atrás, onde você prometeu distribuir motosserras para pessoas carentes, e agora vemos o meio ambiente e a Amazônia, de novo, na pauta mundial.  Qual a sua visão do tema para Manaus?

Amazonino – A questão da motosserra aconteceu há 30 anos e na época era um ato de dignidade, um instrumento que daria condições de trabalho e desenvolvimento à população da floresta. Os tempos eram outros. Meu olhar sempre foi muito claro em defensa dos povos mais humildes.

Observe que em março de 1989, ao receber a visita de senadores norte-americanos para discutir preservação florestal, eu anunciei a ampliação das áreas de reserva ecológica no Amazonas. Em dezembro de 1989, viajei à Suécia e fui recebido na Academia de Ciências de Estocolmo. Meu discurso foi em defesa da ecologia e do meio.

Anunciei ali, mais uma vez, a ampliação das áreas de reserva florestal no Amazonas. Na última administração como prefeito foram criadas cinco novas Áreas de Preservação Permanente (APAs), dando proteção a 5 milhões de árvores.

ON Jornal – Como pensa em fomentar a Cultura da cidade? A abertura de editais de financiamento é uma possibilidade?

Amazonino – A cultura é uma área sempre muito priorizada em todas as minhas gestões. Sem vaidade nenhuma tenho que lembrar aqui que nas minhas administrações foram construídos o Bumbódromo, houve a completa restauração do Teatro Amazonas, a implantação do Liceu de Artes e Ofícios, que já formou tantos artistas em tantas áreas, e a realização de eventos importantes nacionalmente como o Festival de Ópera.

Os artistas me conhecem e sabem do meu enorme apreço pelo setor. Estarei atento, mais uma vez, para dar espaço e garantir que possam desenvolver os seus trabalhos, com tranquilidade. No meu Plano de Governo está prevista a implementação da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, desburocratizando e ampliando o acesso aos profissionais da área.

Quero também trazer para a Prefeitura a realização de um grande Festival de Música e de Dança, para estimular os talentos locais.

ON Jornal – O gostaria de acrescentar?

Amazonino – Gostaria apenas de agradecer ao povo de Manaus, pela recepção que estou tendo por onde passo e nas redes sociais, onde tenho estabelecido um contato direto, recebendo sugestões e discutindo os problemas da cidade.

Me sinto honrado com o respeito dos eleitores. Tenho acompanhado as pesquisas de intenção de votos e estar à frente em todas elas, com boa vantagem entre os demais concorrentes, me motiva ainda mais nessa caminhada e no compromisso em manter uma campanha de propostas, altiva, disposta a ajudar a fazer de Manaus uma cidade melhor.