Gases causadores da mudança climática bate novo recorde

0
142
imagem da internet

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) afirmou nesta quinta-feira que a concentração de gases causadores da mudança climática bateu um novo recorde, só comparável à registrada entre três e cinco milhões de anos atrás.

“A ciência é clara: se não reduzirmos rapidamente as emissões de dióxido de carbono e de outros gases do efeito estufa, a mudança climática terá efeitos cada vez mais destrutivos e irreversíveis na vida na Terra”, disse o secretário-geral da organização, Petteri Taalas, um reconhecido cientista finlandês.

Taalas apresentou o Boletim da OMM de fim de ano sobre a concentração dos principais gases causadores desse fenômeno, que revela que – apesar dos compromissos internacionais para reduzir as emissões – não há indícios de que tenha se estabilizado e menos ainda de que tenha diminuído.

As consequências são uma mudança climática a longo prazo, o aumento do nível do mar, a acidificação dos oceanos e um maior número de fenômenos meteorológicos extremos.

Segundo os dados proporcionados à imprensa pela OMM, a concentração média de CO2 passou de 400,1 partes por milhão (ppm) em 2015 para 403,3 ppm em 2016 e para 405,5 ppm no ano passado.