Feminilização peixes causados por poluentes químicos afetam reprodução de peixes em várias partes do mundo

0
207

 

O pesquisador da Inglaterra Charles Tyler, apresentou no encerramento do 11º Simpósio Internacional de Fisiologia da Reprodução, em Manaus, dados que mostram que águas de rios e mares de várias partes do mundo estão contaminadas por poluentes químicos, provocando a feminilização de peixe, elevando o nível de estrogênio, o hormônio sexual feminino produzido nos ovários.

O tema foi apresentado na sexta-feira, 08, no encerramento do 11º Simpósio Internacional de Fisiologia da Reprodução (ISRPF), que desde o dia 03, reuniu em Manaus os maiores especialistas da área.

O pesquisador Luiz Renato de França, diretor do Inpa, presidiou o evento que ocorreu pela primeira vez na América Latina. “Estamos extremamente felizes com o resultado e com a sensação de dever bem cumprido”, destacou França.

30 países com mais de 200 cientistas, profissionais e estudantes, participaram do Simpósio. 40% de brasileiros.

O professor da University of Exeter (Inglaterra), Charles Tyler, busca entender em seus estudos como os poluentes químicos, que de uma forma ou de outra sempre vão parar nas águas, impactam o funcionamento da vida selvagem, mais especificamente de peixes, o grupo selvagem mais exposto a poluentes.

Há cerca de 100 mil tipos de poluentes químicos no ambiente e de forma regular são despejados pelo menos 30 mil. Produtos farmacêuticos como os anticoncepcionais, veterinários, cosméticos, de higiene, limpeza e agrotóxicos estão na lista.

A equipe de Tyler está interessada nos poluentes que ferem ou mutilam o sistema reprodutivo dos peixes.

Um dos maiores desafios da ecotoxicologia, segundo o pesquisador, é os efeitos desses poluentes químicos no tamanho da população, e na maioria dos casos os estudos encontram problemas na população de peixes no mundo, incluindo até extinção e perda local dessas populações. “O que se vê é que esses poluentes têm um nível muito alto de estrogênio e isso tem causado uma feminilização da população, mas ainda não dá para dizer que é isso que está fazendo extinguir”, destacou Tyler.

Tyler diz ser otimista na busca de soluções para os problemas apresentados. Além de pesquisador, também trabalha junto a governos internacionais levando informações relevantes para possam ser usadas da melhor maneira pelos órgãos públicos.