Ex-assessora de Malta e nova ministra, Damares afirma que vai dialogar com pautas polêmicas

0
235

A futura ministra da nova pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse hoje (6) que a demarcação de terras indígenas será pauta de muita conversa no governo. O presidente eleito, Jair Bolsonaro, já manifestou intenção de rever a política de demarcação de terras indígenas no país.

Damares também disse que no novo governo a mulher não receberá salário inferior ao homem se executar a mesma função. “Se depender de mim vou para a porta da empresa em que o funcionário homem, desenvolvendo papel igual da mulher, ganhe mais. Acabou isso no Brasil”.

Sobre o aborto, a futura ministra disse que o ministério será de “proteção à vida” e se declarou contra o aborto. “Acho que nenhuma mulher quer abortar. Queremos um Brasil sem aborto, que priorize políticas públicas de planejamento familiar, que nunca seja visto como um método contraceptivo”.

Questionada sobre a questão LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), Damares disse que o tema é delicado, porque “criaram uma falsa guerra entre LGBT e cristãos”. “Essa guerra entre cristãos e LGBT não existe. Dá para a gente conversar, sentar e dialogar”, afirmou.