Entrevista Exclusiva: “Nosso objetivo é assegurar às crianças o direito à vida”, diz Glauce Galucio, líder do projeto que ajuda crianças órfãs da covid-19

0
121

Dentre várias campanhas de solidariedade que estão
acontecendo em Manaus devido à pandemia, uma tem
chamado atenção por dar visibilidade a um grupo
desconhecido e pouco assistido. O projeto ‘Eu amo meu
Próximo’ está arrecadando alimentos e itens de higiene
básico para crianças que ficaram órfãs durante a crise da
Covid-19. 


O projeto se diferencia pois não pede doações em dinheiro,
mas sim, todo tipo de alimento e materias de higiene.
Ao ON Jornal, a Educadora e diretora do Instituto de
Pesquisa e Ensino para o Desenvolvimento Sustentável
(Ipeds), que é idealizadora da campanha, Glauce Galucio,
fala com surgiu a iniciativa, os desafios dessas crianças e
como você pode ajudar. Confira:


ON Jornal- Como surgiu a ideia de ajudar essas
crianças? Você já trabalhava em ações sociais do tipo?


Glauce Galucio – A ideia dessa campanha, ‘Eu Amo Meu Próximo’, surgiu
através de Lives de oração, com mulheres intercessoras. E
foi através dessas Lives que começaram os pedidos de
orações pra essas crianças que perderam os pais na
pandemia. E foi assim, que me surgiu a ideia de nós, nãoapenas ficarmos em orações, mas também, em ações, e
está sendo muito gratificante.
Eu já atuo com projetos sociais há mais de 20 anos, com
diversos programas de responsabilidades socias, seja com
crianças, adolescentes e jovens. É algo que sempre me
dediquei e gosto muito do que faço.


ON Jornal- Como é o processo de seleção dessas
crianças? Como elas chagam até você?


Glauce Galucio – Então, conforme a ideia foi
amadurecendo, eu fiz um vídeo convocando algumas
pessoas como padrinhos e madrinhas para abraçarem
essa causa junto comigo. E desde então eu recebo várias
ligações, como por exemplo do Instituto da Mulher, para eu
dar assistência às crianças de lá que perderam os pais.
A partir daí, eu faço um relatório dessa criança, levanto as
idades, informações sobre o responsáveis, vejo o que a
elas estão precisando e aí faço um pedido aos padrinhos e
madrinhas.
As doações são várias: alimentos, kits de higiene, roupas
para bebês e brinquedos também.


ON Jornal- Algumas estão disponíveis para adoção?
Quem são os responsáveis por eles após a perda dos
pais?


Glauce Galucio – Nenhuma dessas crianças estão para
adoção, ou em abrigos. Elas estão em seu seio familiar
com algum sobrevivente da família.
No caso, temos exemplos de crianças que perderam as
mães, e essas estão com o pai. Outras perderam, a mãe e
o pai, essas estão com a avó ou os tios. Ou seja, todos
estão sob responsabilidade de suas famílias.

ON Jornal- Qual a principal dificuldade que esses
novos tutores enfrentam?


Glauce Galucio – O principal problema é falta de
alimentação. Por que muitas delas perderam a mãe e com
isso estão sem leite materno. E o leite receitado pelo
médico é o ‘Aptamil 1’, que custa R$ 50 reais, é um valor
alto para a realidade dessas famílias. Infelizmente, as elas
não têm condições de dar o alimento necessário para que
essas crianças sobrevivam.


ON Jornal- A ajuda que vocês dão a eles é contínua?
Vocês mantem contato mesmo após a primeira
assistência?


Glauce Galucio – Nós estamos dando os primeiros
socorros. O nosso objetivo é assegurar às crianças o direito
à vida. Mas peço, ao poder público, que deem continuidade
assistencial a essas crianças. Elas precisam ter um
programa de políticas públicas, que as ajudem. Elas
precisam de uma assistência de caráter emergencial.


ON Jornal- Qual material/produto que mais precisam?


Glauce Galucio – Nós fizemos um levantamento desses.
Vejam:
Lista de necessidades dos pequenos órfãos vítima da
Covid em Manaus.

  1. Leite Nestogeno 1, 2.
  2. Leite Ninho
  3. Leite Itambé
  4. Leite Aptamil 1
  5. Mussilon
  6. Cesta básica e alimentos perecíveis (frango, carne, peixe e ovos)
  7. Fralda tamanho P, M,G e XG
  8. Roupas para as crianças de todas as idades
  9. Material de higiene
  10. Vitamina C gotas ou efervescente
    ON Jornal- Explica por que as doações são apenas em
    produtos físicos e não em dinheiro?
    Glauce Galucio – Nós estamos passando por um tempo
    de recessão econômica muito grande. E o objetivo da
    nossa campanha, é você doar o que tem em casa. Se você
    tem alimento, você pode doar. Se tem roupas, pode
    compartilha-las. Então, tudo o que temos em casa,
    podemos compartilhar com o nosso próximo.
    Lembrando que muitos de nós temos cartão de vale
    alimentação, auxilio drogaria, enfim, outros benefícios que
    também podem ser compartilhados.
    Eu, quanto educadora, incentivo que a generosidade seja
    uma pratica diária. Quando nós olharmos pra nossa casa, e
    vermos que temos produtos em excesso, percebemos que
    somos ricos, e com isso, podemos compartilhar com quem
    precisa.
    ON Jornal- Quem quiser ajudar, onde procurar?
    Glauce Galucio – Quem tiver interesse em ajudar na
    nossa campanha, podem entrar em contato através no
    número, (92) 99248-0221, e agendar a entrega da sua
    doação.
    O local para entrega é o Instituto Ipeds, na Avenida Djalma
    Batista, nº 4836, bairro Flores, zona centro-sul de Manaus.

Eu sozinha jamais teria conseguido suprir as necessidades
básicas de todas as crianças órfãos vítima da Pandemia
em Manaus. Mas com a ajuda de vários Padrinhos e
Madrinhas que abraçaram essa causa comigo estamos
conseguindo levar ajuda necessária e principalmente
alimentos para garantir a sobrevivência desses
pequeninos. Minha eterna Gratidão. #euamomeupróximo