Entrevista Exclusiva: “meu princípio é dar transparência aos R$ 6 bilhões que a prefeitura tem pra investir”, diz José Ricardo

0
13

Conhecido como “Homem da Kombi”, José Ricardo Wendling é atualmente deputado federal pelo Amazonas.

Nascido no Rio Grande do Sul, mora em Manaus desde os 7 anos de idade. Formou-se em Economia na Universidade do Amazonas e em Direito pela Faculdade Nilton Lins. Atuou como professor, além de prestar consultoria econômica.

É filiado ao PT desde 1995, e disputou duas vezes à Câmara Municipal de Manaus até ser eleito vereador em 2004 e em 2008. Em 2010 e 2014 conquistou uma cadeira na Assembleia Legislativa do Amazonas, como deputado estadual.

Em 2018, disputou uma vaga na Câmara dos Deputados, eleito com 197 mil votos, a maior votação naquele pleito.

Esse ano, Zé Ricardo é candidato à prefeitura de Manaus, pela coligação PT, PSOLRede e PCB. Ao ON Jornal, ele revela como seus planos e objetivos podem ajudar a capital amazonense. Confira!

ON Jornal – Quais são os principais projetos que Jose Ricardo tem para Manaus?

José Ricardo –Olha, sabemos que Manaus é sétima cidade do país, com mais de 2 milhões de habitantes. Mas, nós ainda temos uma baixa qualidade de vida. Segundo o IBGE, a fome aumentou na cidade. A linha da pobreza também.

Tem muita gente desempregada devido a pandemia. Temos um saneamento básico quase zero. Quase todos os igarapés da cidade estão poluídos. Vamos implantar projetos de coleta seletiva e reciclagem, com pessoas que fazem esse trabalho, assim nós podemos economiza milhões da prefeitura em contratos com empresas que fazem essa coleta seletiva.

O município deve dar assistência a essas pessoas também, não só os governos estaduais e federais. O nosso desafio é ajudar a cidade a encontrarem saída para essa crise.

ON Jornal –Nas recentes pesquisas, você aparece oscilando o terceiro lugar com o Cap. Alberto Neto. Como o candidato pretende subir nesse ranking e conquistar o favoritismo nas eleições?

José Ricardo –Bom, meu nome sempre foi muito bem lembrado pelas pessoas.Eu estava sempre em segundo lugar, agora, estamos em terceiro. Mas acredito que as pessoas estão esperando pra decidir quem será seu candidato.

Segundo as pesquisas de forma espontâneo, tem porcentual de 70%, 80%, até 90% de pessoas que não sabem em quem votar. Acredito que, conforme a data pra votar se aproxima, acredito que nós poderemos sim, chegar no segundo turno.

Nosso foco é o segundo turno. O cenário atual nos coloca numa posição favorável para chegarmos lá. Vamos trabalhar pra isso.

ON Jornal – Pra você, qual o principal problema administrativo em Manaus, que precisaria ser mudado urgente?

José Ricardo –Bom, nós temos que dar transparência aos gastos públicos. O povo precisa saber o que entra de recurso, o que está saindo e como está saindo.

O meu princípio é dar transparência aos R$ 6 bilhões que a prefeitura tem pra investir em Manaus. Isso faz parte do nosso plano de governo, por que com isso, nós evitamos corrupção e irregularidades em obras e fornecedores.

O povo sabendo disse fica melhor pra fiscalizar. Eu já faço isso. Todo mês como deputado federal eu presto conta com o povo. Meu princípio será esse.

ON Jornal – Você pertence a um partido abertamente de esquerda. Mas, para o bem de Manaus, você faria alianças com partidos de direita e de centro.

José Ricardo – Chegando no segundo, nós buscaremos os apoios. Se chegarmos lá, e quem apoiar nossos projetos, será muito bem-vindo.

O que acontece hoje, é que as alianças ficam amarradas em ideologias, em candidato que tem interessantes alheios, privados e que só pensam no próprio bolso. E isso é ruim para cidade.

Portanto, aquele candidato que entender nossa visão, que é o povo, e quiser nos apoiar, também terá nosso apoio.

ON Jornal – No cenário nacional, como você vê a tentativa do presidente Bolsonaro de criar o Renda Cidadã e substituir o Bolsa Família. Na sua opinião é um projeto bom para o povo?

José Ricardo –Olha, o Bolsa Família, não precisaria ser mudado. Desde quando foi criado, no governo Lula, ele funciona muito bem. Tanto é que ninguém mudou até agora. Ajuda milhões de famílias.

Mas o que Bolsonaro quer fazer não é apenas mudar o nome do Bolsa Família, ele ta querendo retirar dinheiro da Educação para pagar essa conta, que é o Fundeb. Isso eu não aceito, não da pra aceitar.

Além disso, ele ta querendo tirar dinheiro do Fundef, que também é um recurso que ajuda, e muito, a pagar os professores. Isso não é certo. Deve-se ter uma outra fonte de recuso para pagar esse programa social.

ON Jornal – Sobre a votação do PT Nacional, em decidir entre você e o dep. Sinésio para concorrer ao cargo majoritário nessas eleições. Na época ele disse que respeitava a decisão do PT Nacional, mas ele achou que a decisão do municipal não foi respeitada. Qual é sua visão dessa situação?

José Ricardo –Veja só, em janeiro deste ano, o PT Nacional, já tinha decido que era eles que iriam escolher quem iria pra os cargos majoritários nas capitais. Então, todos estavam sabendo disso, mas nada impediriam de os diretórios municipais de fazerem um debate sobre o assunto. Então, nós fizemos.

Debatemos, e na votação, eu ganhei o primeiro turno das municipais. Fui o mais votado. No segundo turno, o estatuto prevê que o seja em outra data, e não no mesmo dia. Mas o Deputado Sinésio e seus apoiadores decidiram fazer no mesmo dia.

Acontece que, depois do primeiro turno, meus apoiadores saíram do estabelecimento, e ficaram apenas aqueles que apoiavam o Sinésio.  Aí eles ficaram em maioria no segundo turno, e ganharam.

Ai com esse impasse, o PT Nacional chamou a responsabilidade pra si e decidiu a meu favor, até por que eu ganhei no primeiro turno e ia ganhar no segundo também, se tivesse uma votação com todos.

Então a Nacional decidiu quem seria. Mas não teve nada de obscuro, tudo isso estava previsto no estatuto.

ON Jornal – Teremos a possiblidade de algum representante do PT Nacional vir a Manaus para ajudar na sua campanha?

José Ricardo –Se vier lideranças nacionais para nos ajudar, todas serão bem-vindas. Mas por conta da pandemia, há restrições para fazer nossas atividades políticas. Devido a isso, vamos fazer de formo online. Portanto, fisicamente, acredito que não vira ninguém.

Eu até concordo, por que é uma medida de segurança né, é pra proteger as pessoas. Nós já havíamos decidido que todas as nossas programações serão com quase zero aglomeração.

Então, acredito que apoio das nacionais só virtualmente, fisicamente não.

ON Jornal – Como prefeito, caso eleito, você vai continuar percorrendo a cidade sobre a famosa Kombi?

José Ricardo –Eu acredito que sim. O povo me conhece dessa forma né, “O homem da Kombi”, é um nome carinhoso que as pessoas me deram.

Ela serve para prestação de contas. O sentido da Kombi é esse, prestar conta do dinheiro do povo. É o povo que paga o salário do político, então, nada mais justo que eles saibam o que nós estamos fazendo com o dinheiro deles.

A kombi é isso.  Ela também é uma forma de ouvir a população, muitas sugestões que eu recebo já transformei em projetos. É uma estratégia muito boa.

Caso eu seja eleito, provavelmente eu continuarei sim tento contato com o povo dessa forma.

ON Jornal – O que gostaria de acrescentar?

José Ricardo –Assim, nos vamos ter uma preocupação especial com os jovens. Temos um projeto econômico e vamos focar nos jovens. Preparando seu futuro, pra que assim, ele possa fazer um curso, um estágio, ter um primeiro emprego, e a prefeitura tem muito que contribuir por isso. Ela é capaz de fazer muitas parcerias pra ajudar nisso.  Eles precisam de oportunidade.

Veja, uma escola precisa ter uma quadra de esportes, hoje nem todas tem, isso ainda é um problema aqui. A escola também precisa melhorar na segurança para que possamos afugentar as drogas. Isso vai ser uma grande preocupação nossa.

Na parte econômica, nós vamos fazer uma Agencia de Desenvolvimento, onde a prefeitura vai elaborar projetos para buscar recursos para atrair empresas e credores a cidade. A prefeitura precisa estar viajando o mundo e estados para viabilizar isso. A prefeitura precisa dar condição para que esses empresários venham até nós, é assim que funciona em outras cidades e vai funcionar aqui também.

Minha vice, Marklize Siqueira é assistente social, socióloga e professa universitária. É muito envolvida em causa socias, em defesa dos direitos das mulheres. Ela é muito querida. Vai contribuir muito. Estamos bem fortes. E temos muito a mostrar com a nossa coligação ‘Manaus pela Vida, pelos Pobres’.