ENTREVISTA EXCLUSIVA: Marcelo Amil diz ter os melhores projetos para Manaus: “Eu sei como uma oportunidade muda a vida de uma pessoa. Eu sou prova viva disso”

0
32

O advogado Marcelo Amil é o candidato do PCdoB à prefeitura de Manaus. Esta é a segunda eleição disputada pelo candidato de 37 anos. Em 2018, ele tentou uma vaga de deputado federal pelo Amazonas, concorrendo pelo PMN. À época, a chapa obteve 140 mil votos, mas não conseguiu uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Com o número 65, Amil tem a professora, Dôra Brasil, do mesmo partido como vice.  A legenda não fez coligações nas eleições deste ano.

Ao ON Jornal, Marcelo Amil revela seus projetos para a cidade e caso eleito, como pretende mudar a forma de administrar a capital do Amazonas. Confira!

ON Jornal – Qual a diferença de Marcelo Amil dos outros candidatos?

Marcelo Amil – A minha diferença é que eu conheço os problemas da comunidade de perto. Eu vivi os problemas de dentro, e por conhece-los eu posso apresentar soluções mais eficazes pra cidade.

Eu sei o preço da passagem de ônibus e o quanto ela interfere na mensalidade do mês.

Eu sempre digo uma coisa: dá R$ 3,80 pra os outros candidatos e manda eles irem do bairro São Lazaro para a Ponto Negra. Eu tenho certeza que eles não sabem, mas eu sei.

Eu conheço os anseios da sociedade.

ON Jornal – Quais são os principais projetos que você tem para Manaus?

Marcelo Amil –O principal é a mudança na forma de administrar a cidade.Historicamente, Manaus foi administrada de cima pra baixo, com pessoas que tiverem boa oportunidades, decidindo o que deveria ser feito pra quem nunca teve essa oportunidade. Eu quero mudar esses paradigmas. As soluções para Manaus devem ser dadas por pessoas que viveram e vivem os problemas da cidade.

Então, eu sei como uma oportunidade muda a vida de uma pessoa. Eu sou prova viva disso. Eu já vendi bala de mangarataia nas ruas. Eu sei dos problemas. E hoje, eu sou uma pessoa formada graças a educação.

E com isso, nós estamos divulgando a todos o nosso projeto da Universidade Municipal de Manaus, que vai universalizar o acesso ao ensino superior e vai dar oportunidade a vários manauaras parecidas com as que eu tive. Queremos realizar isso.

ON Jornal – Segundo a pesquisa que saiu recentemente, o seu nome não foi citato em levantamento espontâneo. O que você tem a dizer sobre isso e como pretende subir nas pesquisas?

Marcelo Amil –Eu só consigo rir de uma pesquisa como essa. Eu não tenho como levar a sério uma pesquisa que diz que não sou citado, quando eu ando na rua e todo mundo pede pra tirar foto comigo. Muitos dizem: “Nossa, eu adorei como você enquadrou os outros candidatos”, “Você se saiu bem nos debates”, enfim.

Tradicionalmente a pesquisa do Ibope nunca acertou nada em Manaus. Parece que esse ano, mais uma vez, eles vão minar a sua pouca credibilidade, se é que ainda tem alguma.

ON Jornal – O que está errado na administração da cidade que precisa ser mudado urgentemente?

Marcelo Amil –A forma de buscar as soluções. Veja, nós temos vários profissionais que conhecem a cidade, que sabem os problemas da cidade, que vivem aqui e esses profissionais não são aproveitados.

Você não vê um Trabalho de Conclusão de Curso sendo aproveitado. Eles fazem projetos incríveis de soluções de problemas e não tem oportunidade de aplicar isso na própria cidade.

Nós vamos mudar isso é vamos dar oportunidade de verdade para as pessoas daqui.

ON Jornal – Para o bem de Manaus, você faria alianças com partidos de direita?

Marcelo Amil –As alianças que vão ser feitas não serão observadasvisando Direita ou Esquerda.Nós não temos problemas nenhum em conversar. O debate ideológico tem suas frentes, mas a administração de uma cidade deve ser pragmática e efetiva, pautada por valores, não por linhas ideológicas.

ON Jornal – Você chegou ao PCdoB em abril deste ano, vindo do PMN. Muito se fala sobre sua saída do partido, como por exemplo, a chegada do empresário Orsine Jr na presidência seria um dos motivos.  Como foi de fato a sua mudança de legenda?

Marcelo Amil – Olha, desde novembro eu vinha recebendo pressão do PMN para conversar compessoas ligadas ao Amazonino Mendes.E eu gentilmente recusava por que eu acredito que o Amazonino não tem nada a oferecer pra cidade. Pra mim, Amazonino deveria estar em casa, brincando com os netos e bisnetos.

Eu recusava também por que estatuariamente o PMN é um partido socialista, não tem nada a ver com o pessoal do Amazonino. Com isso, eu sempre neguei.

Fui até São Paulo para conversar com o presidente do PMN Nacional, pra dizer que não é logico andarmos com o Amazonino. Porém, não deu certo, eu insisti que essa aliança não fazia sentido.

Depois, pra minha surpresa, num sábado, eu dormi presidente do PMN e acordei destituído, com o Orsine presidente. Enfim, vida que segue. Quem mudou foi o PMN e não eu.

Felizmente, quem me acolheu foi o PCdoB, partido esse que eu não estou chegando, eu estou voltando. Quando eu tinha 17 anos eu já era do PCdoB e me afastei por motivos particulares. Então essa minha volta foi uma honra fantástica.

ON Jornal – O que você tem a dizer sobre o decreto do presidente que possibilita a privatização do SUS?

Marcelo Amil –O Bolsonaro é alguém que já provou que flerta com o genocídio. Ele é um erro histórico do Brasil, que eu espero que logo seja corrigido. Ele próprio viu que não iria conseguir acabar com um dos maiores patrimônios do Brasil que é o SUS, que revogou o decreto. Mas ele fez isso não por que acredito que o modelo ajuda pessoas, mas sim por pressão popular.

E ele é isso, é uma pessoa que ataca o serviço público, ataca a educação pública, enfim.

Mas apesar de tudo, acredito que coisas boas virão. A direita está tendo várias derrotas na América Latina. Aconteceu na Argentina, Bolívia Venezuela e agora esperamos que nos EUA aconteça o mesmo, com Biden vencendo a eleição.

ON Jornal – Você é um dos candidatos que mais defende o esporte, quais os projetos dentro dessa área para a cidade?

Marcelo Amil –Olha, eu tenho uma vida inteira ligada ao esporte. Sou defensor geral licenciado do Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas, já fui secretario geral do Atlético Rio Negro Clube, já fui de torcida organizado do time. Eu sou, até hoje, ‘doente’ pelo Rio Negro.

E eu sei que o esporte é uma excelente ferramenta de inclusão social. Na periferia, há vários jovens que tem a escolher de fazer algum esporte ou ser aliciados pelo crime.

O esporte gera produto de renda também. A Copa São Paulo de Futebol Júnior, por exemplo, movimenta o turismo, hotelaria, de pelo menos 2/3 do estado de São Paulo. Gera empregos diretos e indiretos. E com isso, nós vamos fazer também a Copa Manaus de Futebol Sub-17.

        É um absurdo que Manaus tenha 0.3% de orçamento dedicados ao esporte, e mesmo com isso, acabaram com a secretaria do esporte. Infelizmente isso aconteceu e nós vamos recria-la.

ON Jornal – O que gostaria de acrescentar?

Marcelo Amil –Eu gostaria de dizer que a esperança é algo bom. Nós devemos sempre ter esperança.

Eu trabalhei muito pra ter oportunidades e muitas das vezes a sociedade mesmo te desestimula. Muitos disseram que eu não ia conseguir e hoje, eu consegui tudo o que queria.

Graças a Deus eu sempre escutei o meu coração e não os caminhos negativos. Eu não tenho dúvidas de que eu estou apresentando o melhor caminho pra Manaus. Por que eles são baseados em fatos e coisas que podemos fazer.

Eu peço que você procure minhas redes sociais e conheça mais de mim. Procure por ‘Marcelo Amil, no Facebook e Instagram. Lá vocês vão saber meu histórico, e assim, verão que tipo de prefeito eu serei.