Dia Nacional do Combate ao Colesterol: quando fazer o exame e quais as taxas ideais?

0
74

Considerado um dos grandes vilões da saúde, o excesso
de colesterol pode acumular nos vasos sanguíneos e
provocar problemas graves para o cérebro e o coração.
Com o intuito de conscientizar o público sobre a
importância do diagnóstico precoce do problema, no dia 8
de agosto é lembrado o Dia Nacional de Combate ao
Colesterol. Os exames de rotina ainda são a melhor forma
de detectar problemas de saúde, mesmo quando os
sintomas ainda são silenciosos.
O colesterol elevado no sangue é uma das principais
causas de doenças cardiovasculares, entre elas infarto e
acidente vascular cerebral. No Brasil, o “cardiômetro” da
Sociedade Brasileira de Cardiologia mostra o número de
mortes por doenças cardiovasculares e, este ano, já
registrou mais de 232 mil óbitos, número mais expressivo
que os relacionados à pandemia do novo coronavírus e
que, em grande parte, poderiam ser evitados.
“A maioria das doenças cardiovasculares pode ser
prevenida por meio da abordagem de fatores
comportamentais de risco – como o uso de tabaco, dietas
não saudáveis e obesidade, falta de atividade física e uso
nocivo do álcool. Além disto, o diagnóstico precoce de
elevações de colesterol (hiperlipidemia), hipertensão,
diabetes e doenças cardiovasculares já estabelecidas é
fundamental para que possamos tratá-las precocemente e

evitar danos à saúde dos indivíduos”, pondera o médico
cardiologista e diretor de relacionamento com o mercado
do Grupo Sabin, Bruno Ganem Siqueira.
De acordo com o médico, existem dois tipos de colesterol:
o bom, que é o HDL, responsável por evitar a formação de
placas de gordura que prejudicam a passagem do sangue,
e o LDL, que é o grande vilão da saúde, sendo capaz de
aumentar as chances de infarto e acidente vascular
cerebral.
Os principais fatores responsáveis pelo aumento do
colesterol são a alimentação não saudável, sedentarismo,
excesso de peso e predisposições genéticas.
Para evitar o acúmulo de gordura no organismo, é
fundamental adotar algumas medidas saudáveis,
começando por uma dieta balanceada, que ajudará
também a controlar o peso, a pressão arterial e glicemia,
fatores de risco para diversas doenças. Os alimentos mais
aconselhados para o consumo são carnes magras, frutas,
verduras, linhaça, óleos vegetais, feijão, grão de bico e
iogurte com baixo nível de gordura. Além disso, é
fundamental praticar exercícios físicos e o não fumar.
Diagnóstico
Realizado com uma amostra de sangue, o exame para
avaliar o colesterol é a forma simples, rápida e barata para
fazer o diagnóstico de hiperlipidemia e constitui-se numa
ferramenta importante nesta estratégia de prevenção e
diagnóstico precoce. Está indicado em indivíduos mais
jovens, com dois ou mais fatores de risco para doenças
cardiovasculares ou histórico familiar de colesterol alto, ou
após os 30 anos, com frequência que pode variar de
acordo com a presença de doenças, uso de medicações e
combinação de outros fatores de risco.

O LDL é considerado alto quando está acima de 130 mg/dl
em pessoas com risco cardiovascular baixo e acima de 70
mg/dl naquelas de alto risco. O HDL deve ficar acima de 40
mg/dl e o Colesterol Total deve ser idealmente menor do
que 190 mg/dl.