Decisão dos EUA de retirar tropas da Síria afeta a paz mundial declara FSD

0
221

As Forças da Síria Democrática (FSD), aliança armada liderada pelas milícias curdas que lutam contra o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) neste país, advertiram ontem (20) que o combate contra o terrorismo não terminou e que a decisão dos Estados Unidos de deixar a nação árabe é um golpe que afetará a estabilidade e a paz mundial.

Esta decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, “influenciará diretamente nos esforços para acabar com a organização terrorista e terá graves repercussões que afetarão a estabilidade e a paz mundial”, indicaram as FSD em comunicado assinado pelo seu comando geral.

Os Estados Unidos anunciaram na quarta-feira que começaram a retirar suas tropas da Síria, onde há cerca de 2 mil militares desdobrados, depois que Trump proclamou a derrota do EI nesse país.

“Em um momento no qual enfrentamos duras batalhas com o terrorismo em suas últimas fortificações, assim como as células dormentes (…) que se escondem nas zonas libertadas que buscam reorganizar na região, a decisão da Casa Branca (…) afetará negativamente a campanha contra o terrorismo”, disseram as FSD.

As milícias, que foram arrebatando nos últimos meses o território dos jihadistas e que no fim de semana passado acabaram com um dos últimos redutos do EI na província oriental de Deir ez Zor, advertiram que “a luta contra o terrorismo ainda não terminou e que a derrota final ainda não foi possível”.