Cutias tem poder para restaurar a flora do Parque Nacional na Tijuca-RJ

0
173

Na mata próxima ao Centro de Visitantes Paineiras, no setor Serra da Carioca do Parque Nacional da Floresta da Tijuca no Roí de Janeiro, soltaram oito cutias da espécie Dasyprocta leporina, com a intenção de reconstruir a fauna em processo de extinção.

A espécie foi escolhida por ser um importante dispersor de sementes, ao enterrá-las para construir depois, o que favorece a restauração florestal. A operação durou cerca de duas horas e a ação estava inserida no Projeto Refauna, que vem reconstruindo a fauna do parque com a reintrodução das espécies animais nativas. Antes de serem soltos, metade dos roedores ficou em um viveiro de aclimatação.