CPI da Saúde: depoente não comparece e comissão pede condução coercitiva

0
29

Em sessão que seria realizada na tarde desta quinta-feira (23), a comissão da CPI da Saúde, presidida pelo Deputado delegado Péricles (PSL), afirmou que vai entrar com uma ação para obrigar a presença do ex-dono da empresa Norte Serviços Médicos, lavanderia que prestou serviço para o hospital Nilton Lins, unidade de referência para tratamento da Covid-19 em Manaus.

Vitor Vinicius Souto dos Santos, que é peça chave para esclarecer supostos contratos irregulares com a SUSAM, não compareceu para depor hoje.

Segundo o seu advogado, ele não pode chagar a tempo para falar a CPI pois está em uma viagem no município de Coari.

De acordo com o deputado Péricles, o depoente está se esquivando de suas responsabilidades de prestar esclarecimentos.

“Apresentaremos à Casa Militar desta casa um requerimento de condução coercitiva a Vitor Vinicius do Santos para vir aqui prestar os esclarecimentos devidos”, disse.

Wilker Barreto, membro da Comissão, afirmou que a desculpa adotada pelo depoente é uma ação protelatória para não comparecer.

Para o deputado Fausto Junior, a atitude Vitor é uma falta de respeito, não apenas para com a comissão, mas também para com a sociedade amazonense que precisa de respostas.

De acordo com a CPI, no dia 18 de fevereiro deste ano, Vitor dos Santos vendeu sua parte da empresa para Criselidia Bezerra de Moraes no valor de R$ 5 milhões. Mas a comissão suspeita que Criselidia seja apenas uma laranja e essa venda seria para mascara o verdadeiro dono da empresa, que faturou quase R$ 25 milhões de reais do Governo do Amazonas.
Mas informações em instantes.