Conheça Thiago Morais, produtor amazonense da obra adaptada “A Estranha Velha que Enforcava Cachorros” apresentada em São Paulo

0
1064

Apaixonado por cinema e mídias desde quando o termo “audiovisual” não existia, Thiago Morais começou sua carreira em publicidade, passou por outras profissões, mas nunca deixou sua verdadeira paixão de lado.

Tendo publicidade como formação, Morais revela que seu ‘start’ na carreira dos sonhos, começou com um curso na UEA de “Tecnologia e Produção Audiovisual”, que hoje, não existe mais.

“O curso era muito bom. Na minha época, os professores que eram de todo o Brasil, ficavam surpresos com a qualidade dos equipamentos de ponta que nos tínhamos nos laboratórios. Infelizmente o curso não existe mais” explicou Thiago.

O produtor não deixou se abalar e fez do seu trabalho de conclusão de curso, inesquecível. O livro inspirador foi o curioso conto-pesadelo “A Estranha Velha que Enforcava Cachorros” do escritor amazonense Carlos Gomes, que só pelo nome, já despertou o interesse do publicitário.

“Eu amei o conto de cara, fiquei muito impactado com o nome. Como sou curioso, li e me apaixonei mais ainda. E disse ‘eu quero fazer um curta dessa obra’ ”.

Para isso, Thiago se inscreveu e venceu um concurso de roteiros para captar recurso para a produção da obra, porém, a organização não chegou a repassar o valor do prêmio. Mesmo assim, brasileiro como é, não desistiu e no ano seguinte produziu com recurso próprio o conto que sabia que valeria a pena. E valeu.

A obra adaptada foi um sucesso. “A Estranha Velha que Enforcava Cachorros” foi recentemente exibida na 5° Amostra de Cinema Brasileiro Desobediente, em São Paulo, e não tem sinopse detalhada, pois segundo o autor da adaptação, a obra tem interpretação de cada pessoa, e isso a torna diferente.

“O filme é diferente em cada mente, cada pessoa tem uma visão do filme, isso é incrível e torna o filme diferente. Estou muito orgulhoso das dimensões que o filme tomou.” explicou.

Thiago Morais disse ainda que tem vários projetos para o futuro, um deles é realizar uma amostra dos filmes produzidos pelos alunos da Ufam, onde ministra aulas de Audiovisual.

O novo curta-metragem do amazonense já está pronto, e se chama “Sebastião”, uma adaptação de uma história vivida pelo sogro.

E para quem é amante do meio cinematográfico e queria produzir conteúdos do tipo, o diretor lembra que o governo, prefeitura e empresas fomentam a área, realizando editais e eventos para quem deseja ser um produtor de filmes e documentários.

Para acompanhar o trabalho do produtor amazonense, é só ir à sua página no facebook.com/estranhavelha onde terá mais informações sobre o filme e novos projetos.