Candidato a Dep. Federal Marcos Apurinã chama atenção devido a força entre povos indígenas do AM

0
417

Após dias de campanha em todo o Estado do Amazonas, o candidato a Deputado Federal, Marcos Apuriã, ganhou cada vez mais força entre os povos indignas.

De origem da Boca do Acre, no norte do estado, Marcos vem como nome certo para representar a classe menos evidente na câmara dos deputados em Brasília-DF. O candidato representa aproximadamente 200 mil índios de diversas etnias e comunidades, e esse número só vêm crescendo.

O que chama atenção são seus projetos ambiciosos voltados para as minorias, como: Lutar pelos Direitos das Terras garantidas por leis conforme Constituição de 88 para os

povos indígenas; Garantir o respeito e a proteção a cultura das populações originais e suas tradições; Criar leis para segurar o direito a segurança de politicas publicas; fomentar o investimento em Ciência e Tecnologia, Habitacional e Geração de ener

gia; Criar o Ministério Indígena; Reivindicar 1% do PIB nacional para as politicas publicas; Incentivar a cultura indígena para o desenvolvimento fomentando o geração de renda e criar um serviço social autônomo denominado Instituto Nacional de saúde

Indígena.

Apesar de ser sua primeira vez como candidato a Deputado Federal, Marcos Apurinã, que tem o numero 2727, já acumula um vasto conhecimento em politica.

O Candidato criou a Associação Nunyrymane, do povo Apurinã de Rondônia – ANPIAR. Foi eleito em 1998, vice coordenador da CUNPIR – Coordenaçã

o dos Povos Indígenas de Rondônia; Em 200, foi membro da Comissão Executiva do Programa Demonstrativo dos Povos Indígenas –PDPI; Em 2003, assumiu o Conselho Distrital de Saúde Indígena em nível Nacional; Em 2006 e 2009, foi vice coordenador da COIAB , e 2010 a 2014 foi Coordenador Geral das Organizações Indígenas Brasileiras. Ainda em 2008 esteve a frente da Comissão de Lideranças Indígenas do Brasil em Nova York. Em 2012 represento

u a cúpula dos povos mundial na conferencia das Nações Unidas Rio + 20, no Rio de janeiro; Em 2015 Comissão Nacional de politicas indígenas – CNPI/MJ.