Brasil fortalece medidas para proteção de baleias

0
165
foto da internet

A atuação conservacionista liderada por países como o Brasil e as tentativas de flexibilização defendidas pelo Japão marcaram a abertura da 67a reunião plenária da Comissão Internacional da Baleia (CIB), realizada nesta segunda-feira, em Florianópolis (SC). O evento ocorre pela primeira vez no Brasil, nação com histórica atuação em defesa dos grandes cetáceos (mamíferos marinhos) e que apresentará variadas propostas para o fortalecer a proteção desses animais.

O ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, destacou a necessidade de integração de esforços em nível global, durante pronunciamento oficial na abertura da sessão. “É chegada a hora de atuarmos na CIB de forma convergente, para que também este foro possa apresentar uma visão conjunta no que diz respeito à conservação e ao manejo do meio ambiente marinho”, declarou.

A reunião da CIB ocorre até sexta-feira (14/09), com a participação de delegações de 75 países. Um deles, o Japão, busca a aprovação de mudanças procedimentais na tentativa de flexibilizar as atividades de caça. Aprovada pela Comissão, a moratória à caça comercial de baleias está em vigor desde 1986.

 

O Brasil apresentará diferentes proposições para a conservação dos cetáceos. Entre elas, está a criação do Santuário de Baleias do Atlântico Sul, um território para a proteção dos cetáceos que habitam a região entre os continentes americano e africano. A proposição inclui a pesquisa não-letal e não-extrativa e a integração de estratégias de conservação.

África do Sul, Argentina, Gabão e Uruguai são copatrocinadores da criação do Santuário.