Bahia sofre com onda de assassinatos após morte de policiais

0
29

Nos dias 9 e 10 de junho, logo após a morte do policial militar Gustavo Gonzada da Silva onde seu corpo mutilado, a região metropolitana registrou cinco assassinatos. O soldado da PM Wagner Silva Araújo, 28 anos, foi morto em Feira de Santana, também na Bahia, no final da semana seguinte, e o mesmo roteiro se repetiu: 19 assassinatos em apenas dois dias.

Kleber Rosa, investigador da Polícia Civil baiana que é integrante do movimento Policiais Antifascismo, conhecia Gustavo e não sabia de qualquer tipo de ameaça envolvendo o policial.

“Eu sou do mesmo bairro, minhas relações estão localizadas lá, ele estudou comigo na mesma escola. Era bem conhecido na região, uma pessoa querida e, antes de ser policial, era morador do bairro, então isso é um elemento problematizador. Tanto é que isso indignou todo mundo, inclusive moradores do bairro que sofrem com a violência policial, porque ele era um morador, foi assassinado próximo da casa dele, num lugar que ele frequentava”, disse o investigador.