Astronauta conta como sobreviveu a um ano no espaço – sem natureza, mas com fantasia de gorila

0
14

Os membros da tripulação foram informados pelo controle da missão que um grande e extinto satélite estava avançando em direção a eles a 14 km por segundo. Os controladores sabem que ele vai chegar perto, mas não são capazes de rastrear o objeto com precisão suficiente para saber se vai passar de raspão ou acertar o alvo de forma devastadora.

O astronauta americano Scott Kelly e os russos Gennady Padalka e Mikhail “Misha” Kornienko se agacham na cápsula apertada, seguindo os procedimentos elaborados para tal eventualidade, se preparando para se separar imediatamente da estação espacial e voltar à Terra.

“Misha, Gennady e eu, em vez de ficarmos resmungando um para o outro na Soyuz, teríamos explodido em um milhão de direções como átomos difusos, tudo no espaço de um milésimo de segundo”, afirma ele em seu livro de memórias Endurance.

A fantasia de gorila — embalada a vácuo e enviada em um voo de abastecimento,foi um presente de aniversário de Mark. Pergunto então a Scott se era algum tipo de piada interna entre os irmãos.

“Meu irmão falou: ‘Ei, estou mandando uma fantasia de gorila para você’. E eu disse: ‘Por que você está me mandando uma roupa de gorila?’ Ele respondeu: ‘Por que não?'”, conta Scott, com um sorriso irônico. “Essa foi toda a reflexão sobre isso.”