Apesar de alto consumo de tabaco e álcool, Europeus vivem mais diz OMS

0
224
foto da internet

Região do mundo com um dos maiores consumos de álcool e tabaco, a Europa viu a expectativa de vida de seus cidadãos aumentar de acordo com estudo divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

De acordo com o relatório, publicado a cada três anos, a expectativa de vida dos europeus subiu para 77,9 anos. A pesquisa também indicou uma queda no índice de mortalidade prematura, mas ainda há vários riscos e diferenças entre os países do continente.

 

A diretora da divisão de Informação, Dados, Pesquisa e Inovação do Escritório Regional da OMS para Europa, Claudia Stein, ressaltou as diferenças ainda como “muito altas”. A Moldávia, a última no ranking, tem uma expectativa de vida de 71,65 anos. Por outro lado, em Luxemburgo, a média é de 83,1 anos, a mais alta.

 

Os investimentos, ainda que desiguais, nos sistemasdesaúde, a melhor gestão do tratamentodasdoenças e estilos de vida maissaudáveis adotados pelos cidadãos europeus foram elencados por Stein como os principais fatores para a alta da expectativa de vida.

 

No entanto, uma série de riscos afetam esse índice. Os maiores perigos para a saúde dos europeus são o consumo de álcool, o tabagismo, a obesidade e o sobrepeso. A vacinaçãoinfantil em alguns países, que registraram pela primeira vez casos de doenças como rubéola e sarampo, também precisa ser reforçada.