Ameaçado por clube árabe, Cruzeiro aliena imóvel para pagar dívidas

0
8

Os conselheiros do Cruzeiro aprovaram, por unanimidade, a alienação de um imóvel do clube para quitar compromissos financeiros junto à Fifa. Entre eles, uma dívida com o Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, que cobra o pagamento de R$ 5,3 milhões pelo empréstimo do volante Denílson, em 2016. O não pagamento, que custou seis pontos à equipe mineira na Série B como punição, pode acarretar no rebaixamento da Raposa à terceira divisão do Campeonato Brasileiro.

O imóvel alienado, de nome “Sede Campestre 2” é usado atualmente como estacionamento. O terreno fica na Rua das Canárias, no bairro Santa Branca, em Belo Horizonte, conforme descrito pelo pelo presidente Sérgio Santos Rodrigues na reunião do Conselho Deliberativo, que reuniu 233 integrantes do órgão. O imóvel está avaliado entre R$ 13,7 milhões e R$ 15,2 milhões.

“O Al-Wahda está pedindo a execução do não pagamento. A única punição que pode ter [agora] é isso [rebaixamento], mas, nem é preciso a explicação da gravidade”, disse Rodrigues durante a sessão, que foi transmitida pelo canal oficial do Cruzeiro no Youtube.