Aleam apresenta propostas de melhorias para as pessoas com autismo

0
6

A falta de amparo e políticas públicas voltadas para as crianças e jovens PCD’s no Amazonas, em especia,l com o Transtorno do Espectro Autista (TEA) foi tema da Cessão de Tempo, realizada na  terça-feira (6), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), em alusão ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, celebrado no dia 2 de abril.

A iniciativa foi do presidente da Comissão de Promoção e Defesa dos Direitos das Crianças, Adolescentes e Jovens da Aleam, deputado Álvaro Campelo (Progressistas), que também preside a Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Deficiência do parlamento estadual.

Na oportunidade, representando pais de pessoas com o TEA, o servidor público José Antônio Lahan, destacou a importância do espaço para expor a necessidade e a importância da conscientização social e a implementação de políticas públicas na garantia dos direitos dos autistas.

“Nós sentimos ainda bastante discriminação, porque a sociedade ainda não compreendeu a realidade do autista. Deixei uma sugestão ao nosso deputado Álvaro Campelo, para que se possa criar uma Lei de Incentivo Fiscal, para que empresas possam ‘adotar’ um autista, e assim diminuir o sofrimento de muitas famílias que não tem condições para tratar o TEA”, afirmou Lahan, que é pai de José Leandro, de 14 anos.

Como uma forma de amenizar o sofrimento dessas pessoas, Álvaro Campelo propôs uma indicação ao Governo do Estado, a criação de centros de integração e apoio nos municípios polos, para atender crianças e jovens com deficiência.

“O interior do estado, hoje, padece com a falta de políticas públicas voltadas para as crianças e jovens que tenham uma deficiência, e os pais sofrem com isso, por não poderem proporcionar aos seus filhos um tratamento de qualidade, com terapias e apoio psicopedagógico. Portanto, esses centros, a exemplo do Espaço de Atendimento Multidisciplinar ao Autista Amigo Ruy, no bairro do Alvorada, seriam essenciais”, sugeriu o parlamentar. 

Além de ações realizadas pela Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Deficiência e emendas destinadas para instituições voltadas à causa, o deputado destacou a Lei 5.106/20, de sua autoria, que instituiu a Carteira da Pessoa com Deficiência, que substitui o laudo médico e garante acesso prioritário a diversos serviços públicos e privados para deficientes no âmbito do Estado.  

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que há 70 milhões de pessoas com autismo em todo o mundo, sendo 2 milhões somente no Brasil. Estima-se que uma em cada 88 crianças apresenta traços de autismo, com prevalência cinco vezes maior em meninos.